2 de julho de 2022
HomeGeralGuerrilheiros atacam fazenda e queimam maquinários na fronteira

Guerrilheiros atacam fazenda e queimam maquinários na fronteira

Relacionados

Câmara de Mundo Novo aprovou LDO (Lei de Diretrizes Orçamentarias) e mais dois projetos

Os vereadores mundonovenses aprovaram na noite desta segunda-feira 27,...

Homem comete suicídio após encontrar filho morto em carro

Um homem de 37 anos da Virgínia, nos Estados...

Produtor rural de Nova América denuncia furto e abate de suínos

O produtor rural Fabrício Ortoncelli (44) procurou nesta quarta-feira...

Ex-cantor sertanejo de MS tem prisão mantida após ser detido em operação da PF

Na terça-feira (28), foi decretada a prisão preventiva do...
spot_img

Bandidos invadiram uma fazenda e queimaram maquinários na noite desta quarta-feira (27) no Paraguai. O local do ataque fica a 100 quilômetros de Mato Grosso do Sul, no distrito de San Alfredo, Departamento (equivalente a Estado) de Concepción. A região tem forte presença de grupos guerrilheiros contrários ao governo.

Equipes da FTC (Força-Tarefa Conjunta) seguiram na manhã de hoje para a propriedade, localizada em área afastada, numa região de mata fechada. Ainda não há informações oficiais sobre os estragos, mas funcionários da fazenda informaram que um caminhão, um trator e parte da casa foram queimados.

O comissário Mario Vallejos, subchefe antissequestro do Paraguai, informou em entrevista a emissoras de rádio do país vizinho que o ataque foi relatado por um dos funcionários da propriedade.

Ele conseguiu chegar à delegacia da Polícia Nacional na região e informou que os bandidos armados invadiram o local à noite e fizeram empregados de reféns. Depois queimaram o maquinário e parte da moradia.

O porta-voz da FTC, Luis Apesteguía, disse, também em contato com rádios paraguaias, que na região onde fica a fazenda atacada existem grupos da ACA (Agrupación Campesina Armada) e do EML (Exército Mariscal López). “São grupos que fazem esse tipo de ação naquela região, mas não tem nada confirmado ainda”, afirmou.

Segundo Luis Apesteguía, a área não é zona de influência do EPP (Exército do Povo Paraguaio), o principal grupo guerrilheiro em atividade no Paraguai e responsável por ataques a fazendas e sequestros nos departamentos de Amambay, Concepción e San Pedro. 

CGNews

Últimas Notinias

spot_img